[Resenha] - Um Heroi Para Ela, de Lu Piras



      Sabe o que é legal? Quando você se surpreende com uma leitura. Lu Piras fez o favor de escrever uma obra assim, que foge do convencional sem, no entanto, perder a essência de romance para as apaixonadas de plantão (e por que não os apaixonados também?). É com um pouco desse amor sonhador, ela é capaz de inspirar as pessoas a buscarem esse sentimento nos lugares mais improváveis. 



Título: Um Herói Para Ela
Autora: Lu Piras
Editora: Novo Conceito
334 páginas - 2014

     Bianca Villaverde era uma jovem complicada como qualquer outra que só queria se apaixonar. Carioca, advogada por obrigação e amante da escrita, tinha o grande sonho de ser roteirista. Infelizmente era um desejo ofuscado pela falta de oportunidades no Brasil e, principalmente, pela insegurança e auto-confiança quase nula de Bianca. Foi por isso que seus pais, numa última manobra que exigiria todas as esperanças da família, decidiram fazer algo por ela: inscrevem-na num curso de roteiro em Nova York. 
      E assim Bianca pegou o voo para a cidade que nunca dorme. Mal sabia ela que aprenderia a escrever a própria história. 

"... Bianca baixou o vidro, deixando o vento desarrumar seus cabelos. O ar frio incomodava, mas ela precisava sentir a liberdade."
Página 46

      O ponto de partida de sua aventura é a promessa de uma amizade nada comum. Bianca acaba indo morar com duas garotas: Monica (a paulista) e Natalya (a russa com um gênio muito difícil). E, posso garantir, elas não seriam melhores-amigas-acima-de-tudo. Pelo menos não até passar por algumas situações que colocariam a prova essa amizade tão imatura. Mas é claro que nossa protagonista nunca iria ser completa sem o seu herói (ou seria o anti-heroi?). No curso de roteiro, ela conhece o jovem Paul, aparentava ser tão gentil quanto rico, além de famoso o suficiente para abrir as portas em Hollywood. Por outro lado, Bianca acabou conhecendo o jovem Salvatore, garçom de um bar italiano no Bronx. Para uma garota que, ao final de cada relacionamento, sentia-se cada vez mais solitária, aquela parecia ser sua chance de encontrar um amor que só se vê nos cinemas. 

"Ela nunca deixara de ser só. E o tempo, assim como ela, se consumia em sua própria essência e eficiência. Ele, rápido e cada vez mais rápido. Ela, sozinha e cada vez mais sozinha."
Página 73

     A obra escrita por Lu Piras vai te enganar. No começo, a leitura pode te levar a pensar que é mais um romance água com açúcar (o que não implicaria ser um problema, se assim fosse). Mas não é. Pelo menos não ao longo da leitura. Vamos imaginar que nessa água com açúcar ela tenha decidido jogar limão só pra deixar a trama mais agridoce. E foi exatamente essa mudança que me deixou cada vez mais curioso.
      Bianca acaba se envolvendo com muita gente perturbada, desde a péssima experiência de um quase abuso em uma boate, até o confronto de uma máfia e a possibilidade de não sair inteira daquela situação. Se por um lado a autora nos apresentou uma garota prestes a quebrar no início do livro, por outro ela conduziu a protagonista disposta a crescer e com uma resistência que nem ela imaginava possuir. Não só isso como - fazendo jus ao título - ela enfrentou a dúvida de quem era o homem que por duas vezes aparecera para salvar sua pele.
      É claro que ela encontra o amor da sua vida no final. Mas não podemos deixar de perceber que todos os seus pretendentes a enganaram. O grande diferencial foi qual o mentiroso digno do coração da nossa jovem protagonista em busca de uma história para ser escrita (isso não é spoiler, porque não é nem metade do que o livro promete!).
      Através de referências ao musical O Fantasma da Ópera e à músicas como as de Renato Russo, Lu Piras deu para a obra uma cara de romance contemporâneo mesclado da idealização de amor que vimos nos clássicos. E, o que mais me chamou a atenção, ainda teve muito espaço para ação. Ação de verdade, do tipo tiros e fuga! 

      E, como já deu pra perceber, Lu tem uma queda pela música em todos os aspectos, por isso nada mais justo do que finalizar o post com uma boa música que, na minha opinião, tem cara de Um Heroi Pra Ela. Não um heroi de capa vermelha. Seria mais o tipo que sangra e comete erros todo o tempo.


      Boa leitura! Fiquem na Paz!      

5 inspirações:

  1. Oi, Pedro!
    Peguei esse livro para ler porque sempre tive muita curiosidade pelo trabalho da Lu Piras e agora não consigo largar o livro! Já nos primeiros capítulos dá para perceber que é uma história doce e romântica, mas que tem um clima de mistério e uma mensagem a ser transmitida. Até agora estou gostando muito da leitura e vamos ver que surpresas a história reserva. A resenha ficou perfeita! :)

    Beijos,

    Rafa {Fascinada por Histórias}

    ResponderExcluir
  2. Pedroooooooooooo!!!
    Que resenha arrebatadora... meu pobre coração não estava preparado. :)
    Bem, temos intimidade de dois anos de mundo literário, então, posso falar com todas as letras: estou envaidecida com as suas palavras.
    Você sempre acreditou na minha carreira, leu meus livros anteriores, escreveu belas e inesquecíveis resenhas... e, agora, mais uma vez, me presenteia com o resultado de uma leitura verdadeira e comprometida com a qualidade. Por conhecer você e suas preferências literárias, eu me sinto realmente orgulhosa. Muito obrigada!

    Super beijo!
    Lu

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. P.S.: Adorei sua escolha musical. Temos bom gosto, né?

      Excluir
  3. Sempre que vou comprar um livro fico nessa expectativa, procuro resenhas e mais resenhas, e lendo a sua Pedro não tenho mais duvidas que vou adorar a leitura, agora só esperar meu livro chegar, bjuss.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. PS: sem falar que a capa é tudo de bom :) .

      Excluir

Sua opinião = espinafre
Eu = Popeye
Spam = Brutus
~~
Fique à vontade, dê sua opinião, diga o que pensa, critique e elogie. Só não perca a chance de ser lido ou ouvido quando lhe for dada essa oportunidade! xD
Boa leitura, e vai pela sombra \o/

 
Base feita por Adália Sá | Editado por Luara Cardoso | Não retire os créditos