[Resenha] - Simplesmente Ana, de Marina Carvalho

Alô, amigos Inspirados!

     Meu trabalho hoje é ter trabalho: sim, porque nada é mais difícil do que falar sobre um gênero que não é o seu forte, e é preciso muito bom senso pra não confundir gosto com qualidade da leitura. Estou aqui para falar de Simplesmente Ana, um lançamento muito bem-vindo da Novo Conceito, escrito pela mineiríssima e gente finíssima Marina Carvalho! 



Título: Simplesmente Ana
Autora: Marina Carvalho
Editora: Novo Conceito
304 páginas - 2013



      Ana Carina é Ana Bernardes e Ana Markov... 
    Bem, pelo menos é o que ela descobre depois de uma mensagem de seu pai, Andrej Markov, rei da Krósvia. A vida de uma simples estudante de direito - que vive uma vida normal em Belo Horizonte, ao lado da amiga Estela e da mãezona companheira - transforma-se em matéria pra primeira página, e os fatos levam-na a conflitos entre suas duas porções: Ana Bernardes, a estudante de Direito do Brasil, ou Ana Markov, a princesa krosviana.
    Ana descobre coisas de seu passado, ou melhor, do passado de seus pais, descobre que sua mãe escondeu coisas demais, e todos os fatos acabam colocando a nossa protagonista numa difícil posição. Agora, não há outro jeito, ela precisa enfrentar sua nova realidade, e pega um avião rumo à Krósvia, o lar de sua metade, aquela que pertence à realeza.
     Mas nenhum conto de fadas acontece sem um príncipe, por isso Alex (enteado do rei, filho da falecida rainha) entra em cena, e o sujeito acaba despertando sentimentos em Ana, sentimentos esses que, cedo ou tarde, serão correspondidos. Claro que tem sempre a boa e velha megera pra estragar o romance, e nesse caso, ela é Laika, a noiva de Alex. Sim, esse é mesmo o nome (provavelmente sua vizinha tem um poodle com esse nome), e a Nome de Cachorro passa a ser um alvo secreto de piada para Ana e sua amiga confidente Estela.
     Mas o romance não é o único grande rebuliço em sua vida. Conhecer a nova família, a família real!, é mais do que motivo para dar um nó no estômago. Como seria aceita, o que diriam a respeito... Tudo isso aumentava a insegurança de Ana. E, claro, tem sempre aquele parente nada agradável. Bem, esse é o Marcus, marido de Marieva (irmã de Andrej) e, não se sabe como, soube criar filhos que se tornam os pequeninos de Ana. Imagina o pano pra manga que isso não dá!

     A história de Marina Carvalho, a princípio, pode soar como uma releitura da consagrada obra de Meg Cabot no estilo brasuca. Só que não. Embora a premissa tenha um perfil muito parecido, ao longo da leitura a gente vai descobrindo uma marca única da "nossa" autora, e vai desde os diálogos bem abrasileirados, o cenário tipicamente mineiro - cara, como eu amo Minas Gerais! - e, a parte mais interessante: uma protagonista cheia de falhas. E quando digo falhas, eu digo falhas no caráter mesmo. Não é aquela princesinha perfeita, insegura, mas que é tão bondosa que parece que saiu de um pote de Nuttela. Aqui, Ana Carina tem suas frescuras, tem seus momentos de preconceito, sabe ser venenosa, e tem o talento pra antipatizar o leitor em alguns momentos. Não sei se todo mundo teve essa impressão, mas ela me deixou frustrado em alguns momentos, quase como se fosse cabeça-dura demais pra ver que algumas coisas eram mais fáceis de serem resolvidas, e talvez, pela minha falta de tato com o gênero chick-lit, eu tenha sido um pouco impaciente com esse perfil de personagem. 
     E não podemos esquecer da Estela, aquela amiga-pra-cima que vez ou outra rouba a cena, cheia de verdades a serem ditas, sem papas na língua e, vejam só, me despertou muita simpatia. O interessante é que, em boa parte da história, Estela e Ana se falam a distância, por telefone ou e-mails, e ainda assim a amiga de Ana consegue ter seu merecido destaque, o tipo de personagem que faz falta quando não aparece em um capítulo.
     Laika, a nossa antagonista, é toda veneno e alfinetadas. Nota 10 em antipatia.
     Alex, por outro lado, mostra-se um cara meio "bipolar" no começo, dividido entre gostar ou não de Ana, mostrar-se receptivo ou continuar atacando-a com seus comentários cheios de duplos-sentidos, fazendo a protagonista ficar cada vez mais confusa. Afinal, ele a odeia ou não?

     A narração - em primeira pessoa, sob a ótica de Ana - é tão tranquila e fluida, que a gente lê sem nem se tocar, quando dei por mim estava no final. Os últimos livros nacionais que li me fez perceber que existe um perfil único na escrita dos autores brasileiros contemporâneos, e a escrita de Marina Carvalho está entre uma das que mais me agradou. Embora eu não goste muito dessa narrativa que "conversa" com o leitor, Marina conseguiu fazer isso sem deixar a coisa solene ou pedante, pelo contrário!, soou natural, muito verdadeiro.
     Posso dizer que não gostei muito das descrições melosas de Ana quando contava sobre Alex - desde o porte físico à maneira como ele se comportava - mas, êpa, isso aqui é um chick-lit!, é natural que a protagonista se derreta diante de seu amado. 
     Ah, lembram-se de Marcus, o marido de tia Marieva, sujeito estranho? Pois é, a autora soube deixar uma ponta solta na interação entre Ana e Marcus, e isso me fez pensar que, em algum momento -provavelmente na continuação dessa história - o tio nada agradável poderá representar um estorvo para a felicidade de nossa protagonista. Já até criei algumas especulações (quem sabe Ana represente uma ameaça pra ele, já que os filhos de Marcus poderiam ser os herdeiros do trono? Quem sabe?).
     Se você é fã de chick-lit, então sinta-se confortável em ler esse livro. Simplesmente Ana é um representante de peso para o gênero, e promete ser referência para as futuras escritoras brasileiras que apreciam esse universo feminino que explora os medos, as inseguranças e as superações de uma garota que, mais do que tudo, quer viver um amor digno de contos de fadas.     

Sobre a Autora:
                                                 

 Marina Carvalho é professora, jornalista e mãe. Passa os dias diante de um objeto plano e retangular, seja o quadro negro da escola onde trabalha ou a tela do computador. Escrever é uma de suas maiores alegrias. Sempre foi uma ávida leitora. Está sempre com um livro debaixo do braço e outro na cabeceira da cama: eles são seus companheiros de todas as horas. Quando criança devorava as revistinhas da Turma da Mônica. Formou-se em Jornalismo pela PUC-Minas e exerceu o cargo de assessora de comunicação. Hoje é professora de Língua Portuguesa e Literatura, não à toa, já que morre de amores pelas palavras. "Simplesmente Ana" é seu livro de estreia.                                        

10 inspirações:

  1. Oi Pedro, tudo bem? Eu li esse livro, e eu gosto de chick-lit, mas eu achei ele tão sei lá, eu não gostei nem um pouco, eu me vi arrastando nesa leitura, talvez eu esteja velha demais haha.

    beijos, Lu
    Lendo ao Luar

    ResponderExcluir
  2. Pedro, fiquei curiosa com a resenha de um homem sobre esse livro e parabéns!, dificilmente um blogueiro sabe tirar seu gosto pessoal quando resenha uma obra fora de seu gênero! Amei a resenha, abordou pontos que eu ainda não conhecia - como a protagonista ter defeitos - e me deixou ainda mais ansiosa em ler o meu exemplar!

    Beijo, Mari Scotti
    mariscotti.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  3. Pedro, assim como disse a Mari Scotti, o que mais me encantou em sua resenha foi sua imparcialidade. Seu gosto pessoal pareceu não afetar sua análise. Adorei seu ponto de vista.

    Obrigada pelo carinho.

    Beijo,
    Marina Carvalho

    ResponderExcluir
  4. Pedro, assim como disse a Mari Scotti, o que mais me encantou em sua resenha foi sua imparcialidade. Seu gosto pessoal pareceu não afetar sua análise. Adorei seu ponto de vista.

    Obrigada pelo carinho.

    Beijo,
    Marina Carvalho

    ResponderExcluir
  5. Ola

    Eu estou lendo tantas resenhas positivas sobre esse livro , que ele esta na minha listinha , porém com tantos outros lançamentos, tantos livros chegando , ainda não tive tempo de parar pra comprar.

    Eu estou ansiosa, muito ansiosa na realidade para ler esse livro, estou , ou melhor estamos carentes de escritores brasileiros, eu quero mais literatura nacional, Carina Rissi , ja me conquistou com Procura-se e Perdida, espero ser encantada também pela Marina Carvalho.

    Ansiosa para ler e resenhar

    Um Beijo e obrigado por sua visita

    Sara

    Todas as Coisas

    ResponderExcluir
  6. Oi Pedro,
    Parabens pela sua resenha! Eu confesso que tenho uma curiosidade em ler esse livro, ainda mais por ser nacional! Enfim..
    Achei seu posicionamento super interessante! E concordo com a Marina e a Mari :D

    Se cuida
    Adriano

    Abraços
    http://geracaoleiturapontocom.blogspot.com.br/ (passe lá, depois :)

    ResponderExcluir
  7. Oi Pedro!

    Gostei do teu ponto de vista, mas não achei que Ana tivesse falta de caráter, dos personagens adolescentes do livro considerei como melhor construido. Não curti tanto assim, imaginei que seria uma coisa, mas no finaç é bem divertido mesmo uma leitura fluida, você nem nota que já terminou.

    Abs

    http://tediosoc.blogspot.com

    ResponderExcluir
  8. E aí Pedro! Gostei um tanto desse livro, mesmo ele parecendo um pouco com o livro da Meg Cabot, achei um tanto legal e engraçada a leitura além de muito gostosa.

    Beijos & abraços do Igão ~ www.7hings.com.br 

    ResponderExcluir
  9. Eu abandonei o livro :/ Achei tão chato, algumas coisas na escrita da Marina me incomodaram demais.

    Mas o legal é que muitos curtiram, provando que opinião é opinião e basta.

    http://www.ohmydogestolcombigods.com/

    ResponderExcluir
  10. Livro realmente delicioso de ser ler, daqueles de vc não conseguir largar enquanto não termina. E essa tal de Krósvia, hein? Que vontade de ir lá e assistir o show do Bon Jovi junto com a Ana. Romance leve, gostoso, que dá vontade de estar no lugar da protagonista.

    Parabéns pela resenha e pelo blog!

    adriana medeiros

    minhavelhaestante1.blogspot.com

    ResponderExcluir

Sua opinião = espinafre
Eu = Popeye
Spam = Brutus
~~
Fique à vontade, dê sua opinião, diga o que pensa, critique e elogie. Só não perca a chance de ser lido ou ouvido quando lhe for dada essa oportunidade! xD
Boa leitura, e vai pela sombra \o/

 
Base feita por Adália Sá | Editado por Luara Cardoso | Não retire os créditos