Resenha - O Espião, de Clive Cussler & Justin Scott

     Shhh... Sejamos discretos. Não estamos mais em nosso conforto do universo fantástico. Aqui, as balas de uma Colt podem te fazer sangrar até à morte, torpedos podem esmigalhar iates como farelo de pão velho, e amigos podem ser apenas infiltrados do governo inimigo prontos para arrancarem as informaçoes mais cruciais para uma vitória em alto-mar.
     Nesse clima de desconfiança e apreensão, mergulhamos na história do genial Clive Cussler, em uma aventura bem mais ousada do que eu esperava. O Espião, uma trama de espionagem com cenário datado do início do século passado, conta a perigosa aventura de Isaac Bell, um detetive da Van Dorn que mudou o rumo de muitas vidas - a de um país inteiro, para ser mais exato.



~~***~~
Título: O Espião
Autores: Clive Cussler e Justin Scott
Editora: Novo Conceito
Páginas: 416
RECOMENDO!
~~***~~


     1908. Um suposto suicídio bem bolado é o primeiro vislumbre de uma empolgante leitura a caminho.
     Ao que tudo indicava, Arthur Langner se matara depois de receber uma propina repulhuda do governo adversário. Mas Dorothy, a filha desse grande criador de arsenais navais, não concordava. Por isso ela buscou o conhecido Isaac Bell, detetive da Van Dorn. Ela estava disposta a limpar a honra do falecido pai e provar que ele não cometera suicídio. Depois de algumas investigações, Bell suspeitou que, talvez, a Srta. Langner estivesse perigosamente certa.
     A atmosfera da trama começa bem assim, no Arsenal da Marinha, um espião japonês e a morte de uma mente brilhante que transformaria o poderio da marinha americana num monstro terrível contra os inimigos. Acompanhado de seu amigo John Scully, Bell se enfia nessa jornaga rumo à verdade, e descobre que seu mais novo caso possui mais camadas do que gostaria. Uma série de "acidentes" começou a acontecer com os engenheiros mais brilhantes da Marinha, todos envolvidos num projeto secreto crucial para a vitória na guerra: o Casco 44. A corrida pelos couraçados mais potentes colocou em risco a vida de muitos figurões do governo e envolveu, até mesmo, aqueles figurões que não estavam na lista de pagamento do presidente Theodore Roosevelt. Estamos falando dos chefões da máfia!
     Os gângster de Chinatown e Brooklyn fazem parte do cenário, assim como os estaleiros da Marinha e os centros de jogos e prazeres clandestinos. Não apenas isso, os autores conseguiram enquadrar fatos históricos em sua narração fictícia, dando uma pitada de realidade em O Espião.



"Por mais que tentasse, Bell não via quem o seguia." (Página 202)


    Bell sabia que as coisas estavam ficando perigosas demais, mas não poderia deixar o caso e abandonar seu próprio país. Em busca de respostas e evidências, ele e alguns amigos da Van Dorn partem em busca de mais provas. Estava claro que não havia apenas um espião entre eles. Mais claro ainda era o joguete do espião, que queria jogar um gorverno contra o outro e embaraçar a rede de inimigos, supostamente bem organizada pela chegada da primeira grande guerra que o mundo em breve assistiria. As sabotagens, sempre bem boladas, colocavam em xeque as relações com Japão, Inglaterra, Alemanha e outros países. Caberia a Bell descobrir quem estava por trás de todo esse alvoroço. Um caso que pode custar muito mais do que pensava ser capaz de pagar.
 
     Cussler e Scott fizeram um favor quando criaram O Espião. A obra possui entonação nos momentos certos, uma progressão de acontecimentos que levou ao climax iminente, além de uma mistura inteligente de romance, intelectualidade e heroísmo ufanista. Normalmente leituras desse estilo podem ser enfadonhas em alguns capítulos, mas não houve nenhum momento sequer em que o livro se mostrou cansativo. Especialmente os diálogos! Cada fala possui a impressão da personalidade das personagens, os vilões são exatamento como vemos nos filmes de máfia dos tempos antigos, e os heróis sempre são nobres e autruístas, sem nunca hesitar quando se trata de fazer o que é certo. Num estilo bem retrospectivo aos clássicos do gênero, os autores conseguem fascinar o leitor, além de proporcionar uma leitura nada convencional.

     Na minha opinião, esse foi o melhor lançamento da Novo Conceito em 2012 (se bem que o ano não está nem na metade xD), e posso dizer que é um dos meus favoritos. Recomendada a leitura, deixo um abraço, fiquem todos na Paz!
     Tenham um ótimo começo de semana e excelente leitura!

12 inspirações:

  1. Oi Pedro \o/
    bom te ver aqui.
    Cara, eu adoro livros de investigação, mas tinha certo receio com esse livro, achando que as muitas páginas deixariam a história entediante, mas me surpreendi lendo sua resenha.
    Bem, para ele ser seu favorito, tenho certeza que será bom.
    bjos

    ResponderExcluir
  2. Parabéns pela resenha Pedro! Estou ansiosa para ler O Espião! Abraços!

    ResponderExcluir
  3. Carolina Durães15 de maio de 2012 10:04

    Adorei a resenha.... Eu tenho lido muitas resenhas positivas sobre esse livro e estou curiosa quanto a ele. Espero conseguir ler o Espião em breve! Beijos

    ResponderExcluir
  4. Oi Pedro, tá sumido, gostei muito da resenha! Já estava de olho nesse livro e agora fiquei ainda mais curiosa. Ele realmente parece ser uma ótima leitura, contento vários aspectos que chamam a atenção e deixam o leitor bastante curioso!
    Gosto muito de livros assim, e ele ser para você um dos melhores lançamentos do ano favorece o: vou ler!

    até mais!

    Prólogo da Leitura

    ResponderExcluir
  5. Boa resenha. Gosto de livros de espionagem/investigação. Li há muito tempo um livro do Cussler chamado Chantagem do Vixen 03. Gostei do estilo ele.

    ResponderExcluir
  6. Parece ser um livro bom... Acho que vou ler.

    ResponderExcluir
  7. Bem legal esse livro. Um gênero muito bom e que me lembrou filmes antigos de espionagem. Muito bom!

    ResponderExcluir
  8. É o primeiro livro de Clive Cussler que leio, mas já acho ele um ótimo autor, a história realmente conta as tramas e trapassas por trás da morte de Arthur. Muitos assasinatos ocorrem no livro e as investigações vão ficando cada vez mais perigosas e cheias de ação. muito bom o livro!

    ResponderExcluir
  9. Muito bom esse livro ^.^ Uma volta ao mundo da espionagem, antigo e reverenciado (: Clive Cussler fez um ótimo trabalho, meus parabéns!

    Durante a leitura, não pude deixar de notar um pequenino erro de digitação neste parágrafo:
    {------------------
    "A atmosfera da trama começa bem assim (...) Acompanhado de seu amigo John Scully, Bell se enfia nessa jornaga rumo à verdade,(...)"
    ------------------}
    Acredito que o correto seria "nessa jornada rumo à"...

    Aliás, uma ótima história com todos os ingredientes para ser um Filmaço ou, quem sabe, um Anime Épico !

    ResponderExcluir
  10. Eu gosto muito do gênero e gostei do livro só me incomodou um pouco o fato do personagem principal ser perfeito demais.

    ResponderExcluir
  11. Cara, adoro literatura policial! E eu gostei muito do estilo do Cussler.. Espero ler esses livros o mais rápido possível!

    ResponderExcluir
  12. Olá, Pedro!

    Já faz um bom tempo que tenho vontade de ler esse livro. Confesso que não sou muito fã de romances policiais, mas já li muitos e este me chamou a atenção. Interessante também a questão dos autores envolverem a questão da máfia, que é algo tão secreto, perigoso e, ao mesmo tempo, curioso.
    Espero ter a oportunidade de lê-lo!

    Abraço
    http://poetizaoamor.blogspot.com/

    ResponderExcluir

Sua opinião = espinafre
Eu = Popeye
Spam = Brutus
~~
Fique à vontade, dê sua opinião, diga o que pensa, critique e elogie. Só não perca a chance de ser lido ou ouvido quando lhe for dada essa oportunidade! xD
Boa leitura, e vai pela sombra \o/

 
Base feita por Adália Sá | Editado por Luara Cardoso | Não retire os créditos